Quinta-feira, 9 de Junho de 2011

o "bode expiatório" que não o foi

 

 

Vários sentenciaram-na à partida como “bode expiatório” para uma derrota eleitoral do PSD que outros vaticinavam.

 

No final, o PSD venceu. E os resultados das outras forças políticas, com excepção da CDU, foram inferiores ao que as sondagens iam prevendo.

 

Perante este cenário seria normal assistir a marqueteiros envolvidos na campanha laranja a puxar de galões e a açambarcar louros.

 

Muito se falou de Alessandra Augusto, mas ela manteve-se na sombra. Agora, no final, deu uma entrevista. E os louros da vitória deixa-os para o candidato.

 

Ainda na pré-campanha tive oportunidade, por mero acaso, de almoçar com a Alessandra e o Marcos, que a acompanhou neste desafio. Fiquei então com boa percepção de ambos. Já conheci outros brasileiros que vieram cá trabalhar e assisti a posturas algo arrogantes. Nesse almoço assisti a dois profissionais que com humildade mostravam vontade em conhecer e saber mais, nomeadamente sobre o fenómeno na disputa política na blogosfera e redes sociais.

 

Durante estes meses que passaram tive muitas conversas com pessoas amigas sobre a campanha. Muitos me questionavam o porquê da “falta de marketing” de Pedro Passos Coelho, do porquê de ele, por vezes, falar de temas que não eram propriamente simpáticos à opinião pública. Repeti vezes sem conta o seguinte: vou caricaturar. Se Passos Coelho, depois de analisar a situação do país, vir que a única solução para isto se endireitar é despedir 100 mil funcionários públicos, ele vai dizê-lo. E pode de um lado o politólogo e do outro o comunicólogo dizerem-lhe que assim perde eleições, que ele lhes vai dizer “então que as perca”.

É assim Passos Coelho. Sempre foi. E por isso o titulo da entrevista diz tudo “Passos ganhou eleições dizendo o que pensa”.

 

 

publicado por Rodrigo Saraiva às 18:35
link | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 11 de Abril de 2011

Fernando Nobre: do apoio à revolta

 

 

 

Se há assunto sobre o qual não me atrevo a opinar, quer seja por pura ignorância, quer seja pela delicadeza que lhe está inerente, é política.

 

No entanto, não quis deixar de fazer um reparo...

 

Fernando Nobre será o cabeça-de-lista por Lisboa do PSD e sobre isso poderemos encontrar mais informações aqui, aqui e aqui.

 

Este post vem no sentido de chamar a atenção para a página de Facebook de apoio ao candidato, que agora se transformou numa página de contestações. Uma das principais revoltas vem no seguimento desta entrevista, em que Fernando Nobre afirma que "Partido Político, Nunca!".
Terá esta sido uma aposta arriscada?! O Dr. Marcelo diz que sim...
publicado por Virginia Coutinho às 08:46
link | comentar | ver comentários (1) | favorito

autores

Contacto

piar@sapo.pt

tags

todas as tags

links

arquivos

pesquisar

subscrever feeds