Domingo, 9 de Fevereiro de 2014

Sempre mais do mesmo

Pluralismo? Qual pluralismo? Os canais televisivos portugueses especializados em informação contínua vão-se plagiando mutuamente, concedendo cada vez mais espaço e cada vez mais tempo a um só tema. O desporto. Melhor dizendo, a uma só modalidade desportiva. O futebol. Melhor dizendo, apenas a três clubes de futebol. Benfica, Porto e Sporting.

Tudo gira em função disto. Nada sabemos do que se passa no mundo vendo estes canais. Mas sabemos tudo - mesmo tudo - do que decorre em redor de três estádios de futebol.

Não adianta mudar de canal. Porque todos mostram o mesmo. Mais do mesmo, sempre mais do mesmo, sempre mais do mesmo.

publicado por Pedro Correia às 20:08
link | comentar | favorito
4 comentários:
De Manuel a 10 de Fevereiro de 2014
É o mangostão, o creme hidratante, o antitabágico, enfim, a saúde eterna. Melhor remédio para a saúde é deixar de ligar a t.v, pois dela só sai lixo, mentiras e tristezas. Um dos expoentes máximos da civilização moderna, toma em seu poder a própria civilização, manipulando-a, adoecendo-a com merda, só merda. Antes, antes sim, trabalhar a horta, criar o gado, construir (...) agarrar a vida obrando e criando, nada melhor nesta vida do que o prazer da realização da obra, pelo trabalho, pelo suor e pelo sacrifício, só assim aprendemos a amar e a valorizar a vida. O que se vê? Falo por mim, não vejo isso na mentalidade das pessoas, vejo sim a intrujice, a malandrice, a ladroagem, a pouca vergonha e a continua insatisfação das pessoas que procuram e procuram, que estudam e estudam porque alguém lhes diz que o devem fazer mas ninguém lhes diz o que devem aprender e infelizes procuram sem saber que procurar para nada fazer é coisa de gente que não presta para nada, veja-se, já nem escrever sabem, ao ponto que isto chegou. Sim eu sei, não sou mestre nessa arte, na escola não estudei muito, mas na vida aprendi, lutando, caindo, perdendo, mas também vencendo, entendi que nada, mas mesmo nada é mais verdadeiro que a realização através do sacrifício, da coragem e do trabalho honesto, só assim sentimos a paz e a alegria da vida.
De Pedro Correia a 10 de Fevereiro de 2014
O problema principal acaba mesmo por ser a falta de pluralismo. O que de algum modo explica o facto de uma geração inteira estar a divorciar-se do consumo televisivo. Os canais temáticos apareceram para "diversificar" os conteúdos informativos. Afinal não diversificam: afunilam ainda mais a informação.
Ontem assistimos a horas e horas e horas e horas de transmissão directa de um jogo... que não existiu.
De Manuel a 11 de Fevereiro de 2014
Tudo ia bem até o dia em que surgiram os Morangos com Açúcar, como se não bastasse veio, tão mal, o Big Brother, era insuportável... Então passei só ás noticias, mas continuei adoecendo até que a minha psicóloga sugeriu que deixasse de ver noticias durante uns tempos, foi o que fiz, hoje sou mais feliz, não estou curado mas para lá caminho. Faça o mesmo, é saudável.
De Pedro Correia a 11 de Fevereiro de 2014
Obrigado pelo conselho, Manuel. O pior é quando as notícias são contaminadas também pelo efeito 'Big Brother' associado ao efeito 'Morangos com Açúçar' e tudo resulta na xaropada que bem sabemos.

Comentar post

autores

Contacto

piar@sapo.pt

tags

todas as tags

links

arquivos

pesquisar

subscrever feeds