Segunda-feira, 24 de Janeiro de 2011

A defesa desenquadrada

Se a Constituição garante a defesa do cidadão, atribuindo-lhe o direito a um advogado oficioso, não seria legítimo o direito aos serviços de um consultor de comunicação?

 

Catarina Vasconcelos, Directora-Geral da LPM, escreve um interessante artigo de opinião no jornal i, lançado uma curiosa perspectiva sobre a importância da actividade do Conselho em Comunicação. Em linguagem de facebook: Gosto!

 

 

 

 

publicado por Rodrigo Saraiva às 14:44
link | comentar | favorito

autores

Contacto

piar@sapo.pt

tags

todas as tags

links

arquivos

pesquisar

subscrever feeds