Terça-feira, 11 de Maio de 2010

Visita Papal: e tudo se resume a imagem e comunicação

Comparando os preparativos, condicionantes e mediatismo da visita do Papa Bento XVI com a última de João Paulo II, pelo que me recordo, não existem assim grandes diferenças. Mas se olharmos à opinião pública tudo agora é criticado.

 

Questionam-se os condicionamentos no trânsito, as verbas envolvidas na logística e a tolerância de ponto. Critica-se com Bento XVI. Com João Paulo II não. Porquê?

 

Por dois pontos. Imagem e Comunicação.

 

Imagem: João Paulo II tinha, de longe, muito melhor imagem pública do que Bento XVI. Era um melhor relações públicas. Logo criticá-lo não era “apetecível”.

 

Comunicação: antes também existiam críticas, mas eram reduzidas a poucos opinion makers em alguns jornais e revistas. Hoje todos são opinion makers através de diversos media, nomeadamente em blogs e redes sociais. Existe mais buzz.

publicado por Rodrigo Saraiva às 11:06
link | favorito
De ppp a 11 de Maio de 2010
De uma vez por todas é necessário distinguir a Igreja (Católica) e aqueles que a dirigem ou representam.
A verdade é que, apesar das críticas à instituição, as acções e imagem de J.Paulo II granjearam-lhe crédito mesmo junto daqueles que não se identificam com a instituição.
Invertendo o sentido das coisas, foi a personagem de João Paulo II a dar à Igreja atributos que ela até aí não possuia (ou, pelo menos, não lhe eram percepcionados), nomeadamente, tolerancia e humildade.
Provavelmente o erro não estará no actual papa mas sim numa instituição que, na verdade, nunca foi a imagem de J.Paulo II mas que se acomodou enquanto beneficiava do godwill por ela criada.
Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

autores

Contacto

piar@sapo.pt

tags

todas as tags

links

arquivos

pesquisar

subscrever feeds