Sexta-feira, 15 de Janeiro de 2010

Word of Mouth - João Villalobos

 

 

Senhor agente sou eu

 

por: João Villalobos

Dir. de Estratégia e Projectos Especiais - ipsis

 

Ao contrário do LPM ou do meu amigo Telmo Carrapa, gosto da designação «agências de comunicação» para as empresas do sector. Transporta-me para territórios anglo-saxónicos estilo “Mad Men” e imagino-me rodeado de ruivas curvilíneas, com um dry martini numa mão enquanto com a outra dou palmadas de agradecimento na assistente preferida do dia sem nunca ser processado. Em suma, nada que esteja sequer remotamente de acordo com a realidade.
 

Dito isto, vou levar a minha confissão mais longe até ao ponto de vos revelar que gostava de ter escrita, por baixo do meu nome no cartão de visita, apenas a singela palavrinha “Agente”. Estou convicto de que teria tudo a ganhar em termos de glamour e benesses associadas. Quiçá mesmo crédito ilimitado nos casinos.
 

Já o termo “Consultor”…como direi…é um bocado cinzento. É até uma palavra perigosa porque transmite a ilusão de que ganhamos alguma coisa de jeito. Podem dizer-me que na nossa actividade lidamos com percepções, mas uma dessas é tão difícil de engolir que já me parece ir longe demais.
 

Seja como for, é igual ao litro. Designemos como designarmos aquilo que fazemos, ninguém com uma vida normal vai perceber o que é essa cena. Há anos e anos que ando nisto e até a minha própria mãe já desistiu (Ela queria era que eu escrevesse um livro com uma dedicatória fofinha a agradecer-lhe ter-me dado a vida, ou fosse advogado numa sociedade de betos como o meu primo Julinho que brincava com bonecas até que um dia…Mas onde é que eu ia…ah!). Também há excepções. De quando em quando, sou surpreendido e surge um cliente ou outro que parece saber mesmo o que esta actividade implica. A esses de bom grado ergueria um pedestal, caso não tivesse nascido incapaz de pegar num martelo sem o tratar como uma foice.
 

Em suma, o que eu queria dizer mas duvido que tenha conseguido por isso vou resumir de outra forma mais perceptível - desculpem lá qualquer coisinha - é que dizer que se é consultor é um bocado cocó. Só um bocado, mas é.
 

publicado por Rodrigo Saraiva às 15:13
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De maragitado a 15 de Janeiro de 2010 às 15:34
ah, João!! Quem sai aos seus....
De ICS a 15 de Janeiro de 2010 às 15:37
Grande João!!!!!!!
De lpm a 15 de Janeiro de 2010 às 15:38
Em demonstração do meu reconhecido pragmatismo, sugiro, meu caro, a criação da Associação dos Agentes, Consultores e outros Cocós. lpm

Comentar post

autores

Contacto

piar@sapo.pt

tags

todas as tags

links

arquivos

pesquisar

subscrever feeds