Quarta-feira, 5 de Fevereiro de 2014

Alguém errou... Henrique Monteiro ou Daniel Oliveira. O Expresso que clarifique

Ao ler os textos de opinião de Henrique Monteiro e de Daniel Oliveira, hoje, no Expresso on line, a propósito da polémica dos “Miró”, este autor ficou confuso perante o que aqueles dois cronistas escreveram. Ora, Monteiro, que ao que parece se tornou um “expert” em arte nas horas vagas, refere o seguinte: “Não creio que 85 Mirós gerem, a médio prazo (10 ou 20 anos) os 36 milhões de euros que são a sua base de licitação.”

 

Já Oliveira, sendo mais modesto nos seus conhecimentos artísticos, uma vez que recorre a quem “percebe da poda”, escreve que o “galerista Cabral Nunes, director da Casa da Liberdade - Mário Cesariny, considera que, em três ou quatro anos, a colecção gerará mais retorno do que esta venda, no que parece ser acompanhado por quase todos os especialistas”.

 

Perante isto, qual a informação que o leitor deve dar como válida? Aquela que é veiculada pelo "expert" Henrique Monteiro ou aquela que é sublinhada pelo eterno contestatário Daniel Oliveira?

 

Esta é uma daquelas situações em que os editores das secções de opinião dos jornais deveriam ter algum cuidado na gestão da publicação dos textos, porque sendo certo que estes não têm que seguir os critérios de uma notícia, é também razoável que deve haver a preocupação de não se publicar no mesmo jornal informação contraditória ou completamente díspar. Ainda para mais, quando os dois textos estão um a seguir ao outro.

 

Numa situação destas, e no superior interesse dos leitores, convinha que o Expresso viesse clarificar qual dos dois tem razão. Se é que algum deles tem.

 

publicado por Alexandre Guerra às 12:52
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De H.Rocha a 5 de Fevereiro de 2014 às 15:06
É uma questão de matemática: considerando 5Eur de entrada, para gerar 36ME teriam que existir 7,2 milhões de pagantes. Qual o espaço em Portugal que tem esta afluência em 3/4 anos? Qual o número médio de visitantes (pagantes) do espaço do galerista Cabral Nunes nos últimos, digamos, 5 anos? Ninguém questiona estas patacoadas? Existem jornalistas para quê?
De cristof a 6 de Fevereiro de 2014 às 17:11
a opinião de cada um só ao proprio deve ser assacada e a assinatura serve para isso. O que me parece mais relevante é que as opinioes que há largos meses se debatiam como fazer render mais, apareçam por alguns canavilhos sem moral confiavel, como um parto expontaneo que apanhou todos(a mim apanhou, mas eunão tenho especial queda para Miros) em grande surpresa e num frenesim de salvar a "arte", desde que haja uma merkl para bancar a solidária.
tenham moral gente de grandes artes, comecem por gastar só o que têm e deixem-se de brincar com os desempregados e outros necessitados.
De pto a 14 de Fevereiro de 2014 às 01:26
São artigos de opinião pelo que nenhum deles tem de estar certo ou errado.

Comentar post

autores

Contacto

piar@sapo.pt

tags

todas as tags

links

twitter wall @blog_PiaR

arquivos

pesquisar

subscrever feeds

Visitas ao poleiro