Segunda-feira, 13 de Julho de 2009

A comunicação e as relações públicas em Portugal, um ano depois

Um ano depois deste projecto ter começado a piar, o balanço e a análise que o Rodrigo fez são factores de satisfação quanto ao percurso feito até aqui, mas também razões de motivação para se continuar ainda com mais empenho a partilhar ideias e pensamentos, de forma descomprometida e descomplexada, na área da comunicação e das relações públicas.

 

Visto já ter sido aqui apresentado um retrato bastante fiel do que foi o primeiro ano de vida do PiaR na blogosfera, seria talvez interessante falar um pouco do que aconteceu nestes últimos 12 meses além deste poleiro. Porque, a comunicação e as relações públicas, seja ao nível das empresas, da blogosfera, do jornalismo ou das agências, têm vivido tempos conturbados, mas não necessariamente interessantes.

 

Porém, isto não implica que não tenham surgido projectos “interessantes” ao longo do último ano, mas a verdade é que o sector da comunicação e das relações públicas em Portugal continua a ser marcado por uma forte turbulência.

 

O curioso desta situação é que a agitação do sector deve-se não tanto à imposição das contingências do mercado (porque essas tocam a todos), mas a um estado de constante crispação endémica. Estado esse dominado pelas acusações em registo de “birras”, pelas invejas, pelos egos desmesurados, ou pelas insinuações cobardes. Toda esta dinâmica fragiliza o sector e os seus verdadeiros profissionais.

 

Além disso, no último ano assistiram-se a fenómenos de empobrecimento nalgumas áreas da comunicação.

 

Vejam-se os seguintes exemplos: Em termos genéricos, e apesar do sector da comunicação estar a resistir melhor do que outros nestes tempos de contracção económica, é inegável que as agências estão a ressentir-se; a blogosfera perdeu alguma força nesta área; uma das duas publicações dedicadas à comunicação está confinada a uma existência residual; tendo em conta a falta de visão estratégica dos gestores e dos empresários, os departamentos de comunicação das empresas perderam força nestes últimos meses; as redacções ficaram definitivamente desequilibradas, ao perderam jornalistas formados e experientes e ao dotarem-se de jovens, que não obstante poderem ter boa vontade, muitas das vezes nem escrever sabem. Enfim, outros exemplos poderiam ser dados. 

 

Muitos, certamente, rejeitarão esta visão ao acenar com a descoberta da “Oitava Maravilha” do mundo da comunicação ao longo deste último ano: o Twitter. Uma espécie de instrumento redentor para os males do sector. Mas, este autor diria antes que o Twitter se tornou, nesta praça, uma nova plataforma de “coscuvilhice”.

 

Neste último ano, não obstante terem havido projectos interessantes e profissionais de enorme valor que diariamente tentam elevar a comunicação e as relações públicas a um outro patamar de excelência, a verdade é que o sector continua pobre. Os seus intervenientes têm pouca visão e cultura geral, a discussão de ideias está ausente e os meios de referência na área da comunicação e de relações públicas não existem.

 

Massa crítica qualificada e independente é algo escasso neste universo, mas é por isso que este autor deseja que o PiaR possa continuar a dar um contributo positivo na discussão da problemática da comunicação e das relações públicas.

 

tags:
publicado por Alexandre Guerra às 18:35
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De JPA a 14 de Julho de 2009 às 00:51
Parabéns a ambos pelo primeiro de muitos anos do vosso projecto!

Desde que saíram da casca já deram umas boas piadelas!

PS: já vos contei aquela vez em tive uma ameaça de bomba numa conferência?

Hehehehe...

Dois Abraços!

PIU!!!!

Comentar post

autores

Contacto

piar@sapo.pt

tags

todas as tags

links

twitter wall @blog_PiaR

arquivos

pesquisar

subscrever feeds

Visitas ao poleiro