Quinta-feira, 3 de Janeiro de 2013

2013 sem moralismos

  

Mario Monti disse, de acordo com o Público, que Berlusconi não tem valores éticos, e que o confunde no plano da lógica. A frase pode ser desvalorizada por nós, visto ter sido dita em época pré-eleitoral, num país que nos últimos anos nos tem brindado com alguns dos episódios mais hilariantes da política mundial. Mas se analisarmos um pouco além da sua pré-eleitoral superficialidade, se calharmos encontramos ali aquele que é o maior dos desafios que temos entre mãos para os próximos tempos.

 

Em épocas de crise económica tornamo-nos permissivos em matéria de valores (afinal, todas as grandes crises de valores na história da humanidade foram precedidas por crises económicas). Julgamos que tudo é aceitável e tolerável para salvarmos a pele. Daí que o desafio maior para este ano seja a resiliência na defesa daquilo que é a dignidade humana e dos valores que nessa dignidade estão encerrados.

 

Não é aceitável que nesta altura se façam negociatas a pretexto da crise. Não é aceitável que se comprem ativos por tuta e meia e se explore os vendedores mais aflitos até ao limite. Não é aceitável que para cortar gorduras se despeçam mais uns, mesmo que tenhamos a certeza que ainda aguentamos um pouco mais de esforço. Não é aceitável que a palavra dada não valha nada. Não é aceitável que viremos a cara a quem nos peça ajuda. Não é aceitável que se continue a discutir orgulhos quando já há pessoas que só por o terem é que não pedem na rua. Não é aceitável que se discuta como é que o PM assinou uma mensagem quando há crianças que já não têm canetas para escrever o que quer que seja. Não é aceitável que se continue a olhar para os pequenos interesses quando é o interesse de todos que está em jogo.

 

Como alguém dizia hoje numa rede social, só quando nos distanciamos é que percebemos o ridículo dos discursos e intervenções públicas que se fazem neste país por estes dias. Se calhar é isto que falta: distanciarmo-nos e discernirmos aquilo que é verdadeiramente importante para que, sustentadamente, possamos continuar a existir como comunidade de seres humanos.  A responsabilidade é de cada um. Bom ano com saúde e paz.

 

P.S.: imagem de "culturainquieta.com"

P.P.S.: texto sem moralismos mas com intenção moral

tags:
publicado por Antonio Marques Mendes às 12:50
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Ana Peixoto a 17 de Fevereiro de 2013 às 13:41
Concordo plenamente!

Comentar post

autores

Contacto

piar@sapo.pt

tags

todas as tags

links

twitter wall @blog_PiaR

arquivos

pesquisar

subscrever feeds

Visitas ao poleiro