Quarta-feira, 27 de Outubro de 2010

Influência

Ainda ontem à noite o Presidente Cavaco Silva, durante o seu discurso de recandidatura no CCB, falava de influência no âmbito da sua magistratura. Para o autor destas linhas, não há política sem influência, tal como não há influência sem autoridade ou poder. Ou seja, aquele que tem autoridade ou tem poder, tem influência.

 

A grande diferença prende-se com o seguinte: aquele que tiver autoridade influencia com base na vontade, enquanto que aquele que deter o poder influencia através da persuasão. Seja como for, a autoridade espiritual do Papa ou o poder militar de Napoleão resultam na mesma coisa, em influência.

 

A influência também tem sido uma prerrogativa cada vez mais clamada pelas consultoras de comunicação enquanto objectivo das suas estratégias de Public Relations numa lógica integrada. Mas, caso exerçam ou se proponham a exercer influência, as consultoras só o podem fazer através da autoridade e nunca de outra forma.

 

A influência, seja na política ou nas Public Relations, pode materializar-se em resultados manifestamente positivos para quem a exerce, no entanto, existe sempre o risco da mesma ser percepcionada de forma negativa pelo público em geral, ao associar-lhe "interesses" obscuros e conspirativos.

 

Como dizia uma das personagens de Oscar Wilde na obra o "Retrato de Dorian Gray", "there is no such thing as a good influence".

 

publicado por Alexandre Guerra às 07:03
link do post | comentar | favorito

autores

Contacto

piar@sapo.pt

tags

todas as tags

links

twitter wall @blog_PiaR

arquivos

pesquisar

subscrever feeds

Visitas ao poleiro