Quarta-feira, 30 de Junho de 2010

Word of Mouth - Ariane Feijó

 

  

 

 

Festival de Relações Públicas de Cannes

 

por: Ariane Feijó

Gestora de conteúdos e parcerias - Promoview

 

Jamais imaginei, como relações públicas apaixonada por Relações Públicas,  participar de um festival de publicidade (!) em Cannes. E certamente se isso tivesse acontecido há 5 ou 10 anos a sensação não teria sido a mesma de ter participado nesta última edição. Para mim foi uma grata surpresa estar no meio de colegas de comunicação e amigos que foram de bastante longe até o Palais des Festivals receber um Silver Lion justo na categoria de PR. De todas as vivências de cinco dias em Cannes, para mim o que valeu foi constatar o quanto aquele conceito já bastante repetido começa, finalmente, a realmente se apropriar de seu significado: a comunicação integrada.

 

Um evento da magnitude de Cannes traz para qualquer profissional benefícios que vão além da participação em palestras, workshops ou cerimônias de premiação (e das festas, encontros e eventos que acontecem nos hotéis e nas plages!). É um momento único de vivenciar experiências de comunicação com profissionais das nossas áreas de todo o mundo; uma imersão nesse nosso universo paralelo, feito de idéias, criatividade, campanhas, ações, planos e projetos. É a chance de enxergar em escala global o que cada nuance cultural torna as relações públicas únicas em cada lugar deste planeta que habitamos. É um encontro com o verdadeiro significado da palavra Cultura, em toda a sua dimensão.  Sempre fui fã de carteirinha dos encontros profissionais e o que vi na Côte d’Azur me estimulou ainda mais a difundir a importância e o valor dos mesmos.

 

Tive a chance de conversar com vários profissionais e jurados de algumas categorias não-publicidade, mas me atenho aqui às palavras de Rosana Monteiro, diretora da Ketchum para o Brasil e única jurada lusófona da categoria de RP: os relações públicas precisam aprender a se vender! Tenho certeza que esta frase não é novidade para ninguém.  Nós, afinal de contas, somos (ou éramos?) os profissionais dos bastidores do palco, da preparação do discurso do presidente, da organização do evento de comunicação interna ou da reunião com os governantes do País. Salvo raríssimas exceções, nunca estamos no palco, discursando, falando para centenas de funcionários num evento de comunicação interna ou nos reunindo com o poder máximo de nossos países.  Rosana bateu muito na tecla da qualidade dos cases apresentados, do foco nos resultados com a mesma força do que o foco no planejamento, de nos integrarmos às outras disciplinas da comunicação para preparar apresentações em festivais como Cannes – uma metáfora do que, há tempos, sabemos que deveria acontecer no mercado. Foram pouquíssimos o cases lusófonos apresentados  e, dentre estes, menor ainda o número de cases inscritos por agências de RP. Nossa categoria em Cannes não teve ainda Bronze Lions, devido ao baixo número de inscrições.

 

É fato: há muito o que melhorarmos, mas também muito do que nos orgulharmos. A bela campanha da Leo Burnett para o LIDL (A Maratona pela Água) trouxe um Silver para Portugal.  O Brasil levou três. Todos eles para agências de publicidade, numa categoria que concorre a leões em Cannes pelo segundo ano. Ainda usando as palavras da Rosana, “temos que nos apropriar da categoria de RP”. Precisamos nos preparar, inscrever, convidar os clientes para inscrever junto conosco, apostar nas nossas histórias de sucesso e fazer parte, de vez, desse incrível contexto de comunicação que temos a oportunidade de vivenciar nos dias de hoje. Para finalizar, na quarta-feira recebemos um release do presidente do júri de RP e CEO da Hill & Knowlton, Paul Taaffe, propondo a mudança do nome do festival para abarcar todas as disciplinas que se fazem presentes. "Cannes não é mais um festival apenas de publicidade”, disse Taaffe. Enxergo, assim, que  vivemos um marco histórico neste ano de 2010. Esta conscientização do mercado marca o ano e a vez das Relações Públicas no quase hexagenário Festival de Publicidade de Cannes. Agora é tudo conosco: a batuta para reger a comunicação na nossa posição de relações públicas genuínos nunca esteve tanto em nossas mãos.

 

publicado por Rodrigo Saraiva às 08:45
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Simone Linck a 30 de Junho de 2010 às 13:32
A Ariane Feijó é a minha Relações Públicas favorita. E a cada dia mais!

Comentar post

autores

Contacto

piar@sapo.pt

tags

todas as tags

links

twitter wall @blog_PiaR

arquivos

pesquisar

subscrever feeds

Visitas ao poleiro